Assistência Social

Pacto nacional vai capacitar profissionais que trabalham com crianças e adolescentes vítimas de violência

A FAMEM informa que, Lei já em vigor impede que jovens tenham que testemunhar diversas vezes sobre os mesmos crimes e evita que sejam ouvidos por pessoas não especializadas.

Diversas autoridades do Executivo e Judiciário assinaram, no ultimo dia 13, o Pacto Nacional de Implementação da Lei 13.431, que organiza o sistema de defesa da criança e do adolescente vítimas ou testemunhas de violência. Sancionada no fim de 2018, a legislação impede que crianças tenham que testemunhar diversas vezes sobre os mesmos crimes e evita que elas sejam ouvidas por pessoas não especializadas. O pacto prevê ações, em diversas áreas, para capacitar os profissionais que fazem as escutas especializadas

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, assinou o documento durante cerimônia no Ministério da Justiça e Segurança Pública. Ele afirma que vai intensificar as políticas que combatem a violência infantil e frisa a necessidade de proteger a primeira infância.

Arquitetar uma política nacional unificada e capaz de evitar que jovens sejam obrigados a reviver traumas decorrentes de violência foi defendida pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, durante a assinatura. “Precisamos construir protocolos nacionais unificados no que diz respeito ao tratamento outorgado à criança e ao adolescente vítimas de maus tratos, ou de qualquer espécie de violência, que se veem compelidos a revelar os fatos perante um agente de polícia ou promotor. É necessário ter regras claras e que protejam esses jovens.”

Também assinaram o documento a primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro, os ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, da Educação, Abraham Weintraub, e da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

 

FONTE: Secretaria Especial do Desenvolvimento Social

Mais em Assistência Social


Receba nossa Newsletter. Deixe seu nome e e-mail!